SAÚDE: CONTAMINAÇÕES QUE ATINGEM SUA CALOPSITA

images

SAÚDE: CONTAMINAÇÕES QUE ATINGEM SUA CALOPSITA

Varias doenças e contaminações podem atingir as aves. Em todos os casos é necessário tratamento e consulta veterinária.

Aves e gatos – Uma dupla que as vezes não combina
Gênios diferentes? Não!  Par incompatível? Não!
Tudo culpa da bactéria pasteurella multocida.
Quem tem gato deve ficar muito atento nas aves e a razão não é a incompatibilidade de gênios, é que o gato tem em sua saliva uma bactéria chamada Pasteurella que é mortal para aves, a contaminação se dá por saliva e fezes. O gato vive se lambendo, essa bactéria fica nos pelos, se espalha no ambiente e podem parar na gaiola de sua ave. Se um gato morder sua ave, ela pode não morrer pelos ferimentos em si, mas pela contaminação desta bactéria.
Na verdade, esta bactéria está presente na saliva de todos os mamíferos, porém em maior escala no gato.
Embora esta bactéria existe em menor escala no organismo humano, pode contaminar a ave e matá-la em segundos. PORTANTO, nada de ficar oferecendo a língua para seu amiguinho brincar, dar beijinhos molhados no biquinho da sua Calopsita.
Pode não acontecer nada, mas também pode ser que em algum dia a maledita da bactéria escape de sua saliva e contamine o bichinho. Beijo só seco, viu?
Esta advertência é do Dr. Brian Speer, presidente da Associação de veterinários de aves dos EUA.

calopsita-e-garotinha
Toxoplasmose: Doença bastante grave. Ocorre especialmente nos filhotes e pode ser fatal.
Sintomas: As aves mostram-se tristonhas, fracas e apresentam diarréias, as vezes com sangue, no peito, o externo fica bastante saliente e o fígado também costuma ficar inchado.
Toxinas: Os gatos carregam uma bactéria chamada Pasteurella, inofensiva para eles, mas letal para as aves. O simples contato com saliva, fezes ou comida pode infectar seu pássaro. Se isso ocorrer corra para o veterinário.
Micotoxicose: As causas são os fungos, principais inimigos de uma criação. Doença de elevada mortalidade. Os sintomas são diarréia esverdeada, sede intensa e dificuldades para respirar.
Tratamento: Evitar manter a criação em ambientes úmidos e mal ventilados. Os esporos (sementes de fungos), ficam pelo ar, esperando algum lugar úmido para se desenvolverem e formarem uma “colônia” causadora das doenças mais graves. Alimentos mofados nunca devem ser utilizados.
Parasitose: Tem a Externa, cuja causa é a falta de higiene nas instalações. Os sintomas são a queda da plumagem, emagrecimento, aparência anêmica, patas brancas e olhos comprimidos.
Tratamento: Fazer a limpeza das instalações, desinfetar as gaiolas e acessórios. Consulte o veterinário sobre a forma mais segura de desinfetar.
A parasitose interna tem como causa os parasitas transmitidos por fezes contaminadas. Eles se alojam no estômago e nos intestinos, causando emagrecimento e mortalidade elevada.
O tratamento consiste em vermifugar no período correto, normalmente após a muda (SEMPRE consulte o veterinário!!)
Streptococcus: Os sintomas são sono contínuo, pássaro que se isola em um canto da gaiola, cloaca suja pela diarréia, emagrecimento rápido, respiração ofegante, asas caídas, aumento do ritmo respiratório e bico aberto. O pássaro pode, de tempos em tempos, emitir ruídos agudos.
Para tratamento consulte o veterinário.
Tifo: É transmitida pelas fezes das aves doentes, pela água e picadas de mosquitos. Os sintomas são asas caídas, penas soltas e diarréia verde. Mortalidade muito elevada e rápida, entre 12 e 24 horas.
Tratamento: Isolar as aves. Administrar antibióticos mediante consulta com o veterinário.
Varíola: Bactéria que se desenvolve na ave num período de 1 a 3 semanas, transmitida por parasitas, insetos, moscas e por outras aves.
Sintomas: Queda de pequenas plumagens ao redor dos olhos, as vezes as pálpebras engrossam.
Furúnculos. As partes mais atingidas são o bico, faringe e a orelha.
Tratamento: Separar a ave, passar desinfetante e bactericida (com orientação de veterinário), evitar moscas e insetos fiquem transitando nas aves sadias.
Há vacinas como preventivos e há tratamentos para os casos crônicos, no entanto não medique sua ave sem receita do veterinário.
Pernas encolhidas, necrose dos dedos, eventual diarréia, dificuldade de respirar e penas arrepiadas: Significa Estafilocose, doença causada pela bactéria Staphyloccocus sp. Inicia com pequenas lesões, na forma de abscessos na planta dos pés, surgindo a dificuldade de pular de um poleiro ao outro devido à dor – a ave mantém a perna constantemente encolhida. Percebe-se um aumento de volume nas articulações (juntas dos ossos, dos dedos e das pernas). Em seguida, as lesões atacam os dedos, que ficam escuros e sem movimentação devido à necrose e podem cair. É possível a doença avançar ao aparelho digestivo e respiratório.
Fonte: Blog Universo das Calopsitas

Deixe uma resposta

Últimas Postagens

Pagamento 100% Seguro

godaddy ssl calopsitas betim

Login Cliente:

%d blogueiros gostam disto: